20 de outubro de 2017

VEM DAÍ ANDA COMIGO



Tens o mundo em tuas mãos
E o ar que nele flutua
Tens o céu e as estrela
E tens a mim que sou tua.

Desliga a luz do luar
E segura a minha mão
Vem comigo navegar
Neste mar de imensidão.

Não te afogues na tristeza
E vive com alegria
A noite só tem beleza
Quando é chegado o dia.

A cor que tens em teus olhos
Reflectem tanta esperança
Tem o brilho das estrelas
Como quando eras criança.

Vem comigo povoar
As noites de solidão
Em nome daquele amor
Que guardas no coração.

Nina

10 de outubro de 2017

O TEU FUTURO

Quando o céu te cai aos pés
E o chão começa a fugir
Não procures nessa lista
De evasão fantasista
Pois está dentro de ti
O que não te faz cair
Se sentes que só percorres
O lado errado da rua
E só consegues viver
Na face escura da lua
Não consegues estar bem
Com nada e com ninguém
Um, dois, três
Com mais força desta vez
Vais derrubar esse muro
Já estás do lado de fora
Não é depois, é agora
Abraça-te ao teu futuro.

Nina

16 de agosto de 2017

Sinto falta de TI.


Olho ao meu redor
procuro-te intensamente
e nada vejo além da tua falta
além deste vazio.

passo algumas horas do meu dia
olhando o horizonte
além das brumas que suavemente
se deslocam.
O vazio de não te ter aqui, vai doendo.

Choro em silêncio
as lágrimas se movem em minha face
nas madrugadas que preenchem
os meus olhos dia, a dia...
mais parecem um mar de tempestade.

Sentimento perdido
coração doído
por que não estas aqui.
Procuro entender
procuro respostas
mas todas me fogem, só para dar lugar
Às dúvidas que me secam a alma.

Sinto-me perdida… perdi o norte
perdi a sorte, da minha vida,
que hoje se faz de recordações. 


6 de agosto de 2017

BENDITA A NOITE




É tão linda a tua cor
Do teu rosto moreno
Bendito esse teu brilho
Do teu olhar ladino
O sol que te aquece
Neste inverno sereno
A tua voz traduz
Um som quase divino

Abençoada a noite
Ditosa conselheira
 Corpos entrelaçados
Na fúria de um abraço
Bendita seja a lua
Amante e companheira
Deste meu peito ardente
Que dorme em teu regaço

Bendita seja a luz
Meu poema perdido
Que rimas as palavras
De sofrimento e dor
Bendito seja Deus
Em seu altar divino
Meu enorme clarão
meu sonho redentor